sexta-feira, 30 de agosto de 2013

Desadmirável Mundo Novo


Enquanto os artigos desta nova fase não são postadas adianto alguns textos de minha autoria sobre diversas temáticas, esta é sobre: Distopias. Este é o meu ponto de vista sobre o futuro da relação Tecnologia x Humanidade. Baseado nos livros: Fahrenheit 451, Admirável Mundo Novo e Caminho para Wigan Pier.

Muitos acreditam que o futuro onde robôs coexistiriam com os humanos, está cada vez mais próximo fazendo com que uma espécie de paraíso dos presunçosos e arrogantes se torne realidade.

Primeiramente, a tendencia de todo progresso mecânico é tornar a vida segura e agradável. Isso porque facilita e diminui o método e o tempo utilizado para concluir um trabalho, por exemplo a construção de um carro feita por Ford, que mecanizou a produção e foi capaz de produzir algo complexo pra época em grande escala .

Por outro lado, com o surgimento e aprimoramento mecânico está a causar dores de cabeça ao homem. Isso porque com a máquina a necessidade de ter homens trabalhando na mesma função é mínima, causando o desemprego.

Além disso, quanto mais as máquinas evoluem mais catastrófico é o futuro. Isso porque a sociedade não está preparada em alguns aspectos como psicológico e o estrutural para o tão sonhado progresso, tornando-se ociosa e inútil pois tudo que o homem poderia fazer as máquinas fazem melhor.

Em suma, os sonhos progressistas podem se tornar verdadeiros pesadelos em que vivem em uma distopia, presos na própria arrogância e inutilidade solitária, para evitar que isto ocorra basta pensar em uma pergunta: Será que existe algum futuro em que a atividade humana não seria mutilada pelo predomínio da máquina? Se existir é por este caminho que se tem que ir.

(Texto originalmente escrito e publicado no Projeto Redação 2012, livro do folha dirigida)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Gostaria muito de saber a sua opinião caro(a) Leitor(a). Então se possível deixe a sua opinião ela é de grande importância para mim, pois exibindo nossos pensamentos podemos construir um novo amanhã. Apenas gostaria que fosse evitado se possível o abuso nos palavrões, internetês e gírias.